01
Abr 08
"Mentir não é só dizer aquilo que não é. É também, e sobretudo, dizer mais do que aquilo que é e , do que diz respeito ao coração humano, dizer mais do que se sente. É isso que fazemos todos, todos os dias, para simplificar a nossa vida."

A expressão é de Albert Camus, escritor francês do século XX, também jornalista, um dos autores que mais pensou o absurdo. Neste caso, o absurdo da mentira neste dia 1 de Abril, exaltado desde 1564 porque, não raras vezes, também torna a vida bem mais suportável.

Segundo um estudo feito pela companhia britânica Beverage Brands, todas as pessoas mentem cerca de quarto vezes por dia. Quando alcançam os 60 anos de vida, já mentiram pelo menos 88 mil vezes. Como muitos previam, os homens mentem mais vezes do que as mulheres. Em média, os homens mentem cinco vezes por dia, ao passo que as mulheres o fazem apenas três.

Sendo assim, seria mais lógico que existisse, antes, o dia da verdade. Sir Winston Churchill dizia que "uma mentira dá meia volta ao mundo antes que a verdade tenha tempo de se vestir". Merecia, pois, um dia de consagração. Mas também é certo que, "qualquer um, pode dizer a verdade, mas é necessário um espírito hábil para dizer uma boa mentira", como referiu Samuel Butler.

O certo é que, nascidos para a verdade, porque só a verdade liberta, lê-se na Bíblia, a mentira está enraizada no ser humano e ajuda a sobreviver.

"Estou contente por te ver". Quantas vezes esta expressão não é acompanhada de um sorriso amarelo... Os 'chicos espertos' preferem: "Voltei a a esquecer-me da carteira, desculpa". Ou uma mais sarcástica: "Não atendi porque não ouvi o toque do telemóvel". Ou, então: "Fiquei sem bateria".

Dizia Albert Camus: "Uma pessoa que eu conhecia costumava dividir os seres humanos em três categorias: aqueles que preferem nada ter a esconder de modo a não serem obrigados a mentir; aqueles que preferem mentir a não poderem esconder nada; e, finalmente, aqueles que gostam de mentir e esconder". Há, no entanto, quem defenda a mentira por amor. Porém, há quem diga: "Uma pessoa que minta por ti também mente contra ti".

Sendo assim, "a melhor política é dizer sempre a verdade, a não ser, claro, que sejamos uns excepcionais mentirosos", como também defendia Jerome K. Jerome. E acreditar nas palavras, como o filósofo Friedrich Wilhelm Nietzche: "As convicções são mais perigosas para a verdade do que as mentiras". Mas sempre escaparão as mais piedosas das inverdades: "Hoje trabalho até mais tarde"; "Ligo-te depois"; "Temos de nos encontrar novamente". "Claro que te amo".

A mentira sempre está presente no ser humano. Mas, o Dia das Mentiras é, sobretudo, um dia de brincadeira. Com partidas que podem ser bem interessantes.

In DN
publicado por SoniaGuerreiro às 10:56

Abril 2008
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5

6
7
8
9
10
11
12

15
16
17
18
19

20
21
26

27
29
30


Email
ainosccguerreiro@sapo.pt
mais sobre mim
Visitas
blogs SAPO