27
Mar 07

“GO! Shopping Beja” é o mais recente pedido de instalação Comercial. A proposta da Guedol, SA visa transformar o Estádio Flávio dos Santos numa área comercial.

 

“GO! Shopping Beja”, é o nome que a Guedol- Engenharia, SA tem para o espaço onde se encontra implantado o Estádio Flávio dos Santos 

Face aos projectos de requalificação que a Câmara de Beja tem para aquele espaço, a Guedol solicitou autorização para apresentar uma proposta para aquele espaço.

O processo de instalação do conjunto comercial está em apreciação e consulta na Direcção Regional de Economia do Alentejo (DREA), até ao próximo dia 10 de Maio.

Segundo dados a que a Voz da Planície teve acesso, o GO! Shopping Beja terá uma área bruta locável de 21.275 m2, num espaço de implementação de 22.058 m2, recebendo entre outros, um hipermercado, um conjunto de lojas das marcas de grande consumo, as chamadas lojas âncora, de vestuário, bricolage, automóvel e outras, a que se juntam lojas de retalho, que poderão ser ocupados por empresários locais.

O “shopping” disponibiliza ainda salão polivalente para a prática de diversos desportos, com uma área 1.200 m2.

O “GO! Shopping Beja” vai ficar instalado na Freguesia de São João Batista e apesar do Plano Director Municipal da zona onde se encontra o Estádio Flávio dos Santos, não prever este tipo de infra-estruturas, não invalida que os proponentes solicitem a análise do projecto pela DREA, e posterior revisão do PDM.

A Guedol- Engenharia, SA é especializada em projectos "chave na mão", nomeadamente na construção de Hotéis, Centros Comerciais, Retail Parks e edifícios de escritórios, estando a construir o “Évora Fórum”, localizado no Parque Industrial daquela cidade.

 

In Rádio Voz da Planicie

 

publicado por SoniaGuerreiro às 11:00
tags:

15
Mar 07
A Primavera pode ser um período de alegria e beleza, pelo fim dos dias cinzentos do Inverno e pela chegada do colorido das flores. Porém, para alguns, esta época do ano pode ser o início de uma série de sintomas que se repetem ano após ano com as doenças da Primavera.

Atingem muitas pessoas e podem mesmo tornar-se um grave problema. Talvez seja por isso que todos as conhecemos e que viver com elas quase se torna num hábito.

Resta saber até que ponto a convivência é saudável, já que pensar-se em cura é prematuro, sendo a prevenção a única aposta ganha.

É a partir de Março e com a chegada da Primavera que as alergias atacam em força, atingindo crianças e adultos.

A alergia é uma doença que afecta um grande número de pessoas em todo o mundo. Não tem cura, mas se se conhecerem bem as suas formas e agentes causadores consegue-se facilmente tê-la sempre sob controlo.
publicado por SoniaGuerreiro às 17:06
tags:

http://www.minerva.uevora.pt/ticiencia/estrelas/idade_noutros_planetas.htm
publicado por SoniaGuerreiro às 16:21

14
Mar 07

Como se livra da ansiedade e do stress? Rói as unhas, morde o lábio, enrola o cabelo... Pois fique a saber que estes são os sinais do descontrolo. E depois dos tiques surge a depressão.


Não está a despender demasiadas energias no trabalho? Pois este é o princípio para que se torne (se ainda não for) um ’workaholic’. Mas, agora, não será isso uma fuga a qualquer outra coisa?

Há outros sinais, além do mergulho vertiginoso em tarefas, como o trabalho ou as lides da casa, para esconder estados emocionais, stress, ou ansiedade. É o caso de quem não consegue evitar roer as unhas ou trincar o lábio. E há quem se sinta melhor percorrendo as mãos pelo corpo (no cabelo e na cara), ou a tremer as pernas e as mãos.

São tiques nervosos. “Quando não se consegue lidar com a pressão associada ao stress, e tentamos apressar a vida, a fase de descontrolo assume estes tiques”, explica Ana Braz, psicóloga. “Quando as coisas começam a falhar, vem a depressão.”

Ainda antes, já muitas destas pessoas revelaram ter comportamentos desadequados perante os outros. Tornam-se arrogantes, rígidas, teimosas. Até a roçar o egoísmo. E são estes amigos que as questionam: “Não andas a trabalhar de mais? O que se passa contigo? Tu não andas bem...”

De acordo com Ana Braz, quando surgem estes sinais exteriores que indiciam que a pessoa não está bem emocionalmente ou nas suas relações pessoais é caso para abrandar o ritmo de trabalho, descansar e procurar um especialista. “Traçar pequenos objectivos para avançar para um outro patamar”, aconselha a psicóloga. “Lidar com o stress para não deprimir ou desorganizar no dia-a-dia.”

TIQUES REVELAM CONFLITUOS EMOCIONAIS

“Desde sempre que me recordo de roer as unhas”, conta Inês Martins. Hoje, com 23 anos, a estudante de Design Têxtil no Porto já está há dois meses livre do tique. “Os dez dedos das duas mãos não chegavam. Era compulsivo porque comia as unhas até ficar com os dedos em ferida.” Inês apercebia-se facilmente do gesto, só não se conseguia opor a ele. “É apenas um pormenor quando as pessoas nos dizem que é feio roer as unhas. Nós esquecemos depressa porque é um prazer, uma distracção.” Ou seja, acaba por ser um alívio à tensão acumulada.

Estima-se que 30 em cada 100 mil pessoas tenham um vício como este ou semelhante. “Talvez fosse um tique nervoso que passou a ser hábito”, analisa Inês Martins. “Quando estava nervosa, ansiosa [num momento crítico], punha as mãos à boca e roía as unhas.” Semelhantes ao exemplo da jovem estudante, são os tiques do corpo: oscilações dos membros, movimentos rotativos com a cabeça. No rosto, o piscar de olhos, franzir as sobrancelhas ou a testa, contracções de músculos. Tiques de voz como o falar aos berros, gaguejos, risos descontrolados. Além destes, bocejos, fungadelas, ou tosse. O rol de manifestações é extenso.

“Não sei explicar como passou: foi talvez por comentários que ouvi. Disse vou parar e parei!” Inês Martins acredita que a idade também a aconselhou a deixar de roer as unhas. “Por exemplo, se já tivesse 30 anos e alguém me visse, diria: rói as unhas como uma criança, é uma desmiolada.” Deste seu tique só resta um hábito. “O de esconder as mãos.” Acontece que a ansiedade persiste: “Acho que poderá haver uma relação entre os cigarros que agora fumo a mais, mas pode ser só do stress do dia-a-dia”, atesta.

Para os psicanalistas os tiques revelam conflitos emotivos ou perturbações de humor. “Muitas pessoas só os ganham devido à tensão, ao stress, e esta é uma forma de se controlar estes estados”, afirma a psicóloga Ana Braz. “A ansiedade tem a ver com problemas por resolver, ou seja, quando a pessoa tem algo planeado para fazer e não o consegue no imediato, deixa de controlar os seus movimentos como antes.” Embora haja vícios que se transmitem na família. A partir dos seis ou sete anos, as crianças tendem a assimilar rapidamente os gestos e as atitudes dos pais – que para eles são como heróis. O que os progenitores fazem, as crianças repetem até à exaustão. Acontece que esta é uma herança (boa ou má) que se prolonga até à fase adulta.

AMIGOS E RISOS AJUDAM

É uma regra básica mas que muitas vezes nos esquecemos – é preciso que cada pessoa aprenda a ter consciência dos seus limites. Para isso, nada melhor do que se rodear de outras pessoas.

Esquecer o isolamento. “Quanto mais a pessoa lidar com outras, menor é a probabilidade de de-senvolver tiques nervosos”, afirma convictamente a psicóloga Ana Braz. Isto porque haverá sempre alguém a indicar um destes sinais que indiciam que a pessoa não está bem emocionalmente.Mais. “Aumenta a resistência à frustração, porque se está mais propenso a ouvir as críticas”, acrescenta a especialista.

Dedicar tempo aos amigos e à família – se for preciso em grupos diferentes – é uma forma de descontrair. “Rir e divertir” são remédios, considera a psicóloga. A vida não tem que ser cinzenta. Há inúmeras maneiras de se conviver com as outras pessoas. E, neste sentido, o trabalho também é um bom local.

A quebra da rotina laboral e do excesso de formalismo, pode ser feita num almoço, por exemplo, onde se reúnam os colegas de trabalho e se fale dos mais diversos temas.

MUDAR DE VIDA

Os problemas da ansiedade, medos, stress, não se resolvem com o isolamento. Siga estes conselhos

e verá que pode melhorar o seu dia-a-dia.

TRABALHO Q.B.

Proponha-se a cumprir tarefas com pequenos objectivos e não se envolva em muitas ao mesmo tempo. Se falhar, assuma o seu erro. Isso permite-lhe ter consciência das suas atitudes e é uma forma de aprendizagem. Não se afunde no trabalho, reparta o tempo com os amigos e a família.

VIDA SAUDÁVEL

O princípio para se manter o equilíbrio corporal parte de hábitos saudáveis de vida. Cumpra horários para não desregular o relógio biológico: marque uma hora para se deitar/levantar e para as refeições. Não se esqueça que a alimentação deve ser regrada. Tire um dia por semana de descanso.

AJUDA PRECISA-SE

Resolver um tique nervoso, como o de roer as unhas, passando a fumar mais ou substituindo-o por outro, é uma nova forma de não resolver o problema. Pare para descansar e procure um especialista. A melhor ajuda é o contacto com as pessoas, sabendo ouvi-las.

REGRAS DA VIDA SOCIAL

A educação é um princípio para a vida em sociedade. Isto faz com que as pessoas não devam esconder as emoções para viver em sociedade. É preciso saber falar dos problemas e ouvir os conselhos daqueles em quem se confia. As regras de etiqueta não devem sobrepor-se às emoções.

OPINIÃO DA JORNALISTA DULCE GARCIA

Os tiques têm o seu quê de provinciano. A sério. Percebi isso quando me mudei para Lisboa, há mais ou menos 16 anos, e comecei a dizer bom dia antes de entrar no elevador do prédio onde trabalhava.

As reacções eram quase sempre a mesmas: silêncio, olhares de desprezo, grunhidos e pigarreares forçados. Ao princípio pensei que era impressão minha, a seguir achei que estava com azar e às tantas percebi que estava prestes a ser metida num colete de forças por fazer uma coisa que na minha terra era normal mas na cidade era um óbvio sinal de demência.

Habituei-me então a analisar discretamente as pessoas, antes de me deixar levar pelo tique provinciano. Reservei o bom dia para gente com pés de galinha e pequenas rugas ao canto da boca. Porquê? Pareceram-me ambos sinais de riso e de lágrimas, coisas de pessoas de carne e osso. Melhorou. Ainda tropecei nalguns falsos mudos, mas comecei a equilibrar as contas entre o dar e receber.

Percebi também que esse cumprimento que me foi ensinado como elementar regra de boa educação podia criar falsas expectativas em estranhos. Muitos rapazes olharam para mim com um ar maroto quando foram alvo dessa saudação inofensiva. Como se ela fosse, afinal, uma senha para me começarem a piscar o olho, a cravar cigarros ou até, nos casos mais aberrantes, a poderem convidar-me para sair.

Mas não foram os únicos. Lembro-me de dizer bom dia a velhinhos de ar composto e receber deles olhares de esguelha, franzires de sobrolho e abanares de cabeça, como se em vez de lhes ter desejado a felicidade lhes tivesse apontado uma faca ao pescoço. Desisti. Até aos 32, 33 anos, desisti de ser bem educada no que toca a saudações matinais.

Mas há dois anos, voltou-me o tique. Lá estou eu outra vez a dizer bom dia à porta do elevador, na esperança de ouvir uma resposta simpática ou, mais louco ainda, um sorriso bem disposto. Com uma diferença: já percebi que não sou eu que sou maluca. Há é muita gente mal educada.

publicado por SoniaGuerreiro às 16:39
tags:

Não se deve acreditar em boatos. Nem nos mais ingénuos. Muito menos encorajá-los. Lembre-se sempre de que quem comenta boatos é um pombo correio que leva e traz. O que ele estiver a dizer sobre o ausente Beltrano, provavelmente dirá a seu respeito mal vire as costas: “as costas dos outros são o nosso espelho”. Corte habilmente o assunto ou retire-se sem muito alarde.

Para que seja eficaz e nunca se esqueça que pode estar diante de boatos e falsas informações, aplique no seu dia-a-dia simples axiomas e dispositvos.

Axioma nº 1 – Não acredite! Este é o primeiro dispositivo para neutralizar os boatos.

Dispositivo nº 2 – Não passe adiante nenhuma observação 1que mencione o nome de alguém. Se o comentário tiver nome, morre ali.


Dispositivo nº 3 – Quando tiver alguma coisa a dizer, não mande recados; fale directamente com a pessoa interessada ou em questão.

Dispositivo nº 4 – Tenha confiança em que os seus amigos e companheiros cumprem o dispositivo 3!

Dispositivo nº 5 – Em caso de dúvidas sobre o poder, em alguns casos destrutivo, do que parece ser um simples boato, faça o exercício usado na antiguidade e que chegou até aos nossos dias com o nome “telefone sem fio”. Este consiste em formar um círculo de pessoas e passar uma frase à primeira para que ela passe adiante, e assim sucessivamente até que chegue ao último do círculo. As distorções são tão grandes e absurdas que fazem-nos compreender como surgem os falsos rumores. Ao mesmo tempo, vacinam as pessoas mais inteligentes para que não acreditem no que possam ouvir, seja lá de quem vier a notícias, até mesmo das pessoas mais credíveis.

No entanto, o boato, sendo uma energia poderosa, pode ser canalizado para fins construtivos. Aprende-se nas artes marciais do Oriente a não opor resistência directa ao ataque no inimigo, mas sim, aproveitar a força dele para levá-lo ao chão. Com o boato o princípio é o mesmo.

Quando ouvir algum boato sobre uma pessoa amiga, colega de trabalho, o seu Mestre, o seu tipo de Yoga, não se acanhe e defenda aquilo de que gosta e em que acredita

 

publicado por SoniaGuerreiro às 16:32
tags:

As informações que circulam via e-mail sobre a utilização invertida do código do cartão multibanco para alertar a polícia em caso de assalto “são falsas”, esclarece a Sociedade Interbancária de Serviços – entidade que gere o Multibanco – na sua página de internet.

In Correio da Manhã

publicado por SoniaGuerreiro às 16:15
tags:

1ª semana
Hoje faz uma semana que nasci! Que alegria ter chegado a este mundo!!!

1 mês
A minha mãe cuida muito bem de mim. É uma mãe exemplar.

2 meses
Hoje separaram-me da mãe. Ela estava muito inquieta e com os seus olhos disse-me adeus como esperando que minha nova "família humana" cuidasse bem de mim, como ela havia feito.

4 meses
Cresci muito rápido, tudo chama a minha atenção. Há várias crianças na casa que são como meus "irmãozinhos".

5 meses
Hoje castigaram-me. A minha dona zangou-se porque fiz "xixi" dentro da casa... mas nunca me disseram onde eu deveria fazer. E como eu durmo na marquise.! eu não me aguentei!!!

6 meses
Sou um cão feliz. Tenho o calor de um lar, sinto-me seguro e protegido...Creio que minha família humana me ama muito... Quando estão comendo me convidam, o pátio é somente para mim e eu estou sempre a fazer buracos na terra, como os meus antepassados lobos, quando escondiam a comida. Nunca me educam, seguramente porque nada faço de errado.

12 meses
Hoje completei um ano. Sou um cão adulto e meus donos dizem que cresci mais do que eles esperavam. Que orgulhosos devem estar de mim!!!

13 meses
Como me senti mal hoje... O meu "irmãozinho" tirou a minha bola. Como nunca toco nos seus brinquedos fui atrás dele e mordi-o. Mas como os meus dentes estão muito fortes, magoei-o sem querer. Depois do susto prenderam-me e quase não posso me mover para tomar um pouco de sol. Dizem que sou ingrato e que vão me deixar em observação certamente não me vacinaram)...não entendo nada do que está a acontecer.

15 meses
Tudo mudou... vivo preso no pátio...na corrente...sinto-me muito só.... a minha família já não me quer. As vezes esquecem-se que tenho fome e sede e quando chove não tenho tecto que me cubra...

16 meses
Hoje tiraram-me da corrente. Pensei que me tinham perdoado...Fiquei tão contente que dava saltos de alegria e meu rabo não parava de abanar. Parece que vou passear com eles. Entramos no carro, e andamos um grande pedaço. Quando pararam, abriram a porta e eu desci a correr, feliz, crendo que era dia de passeio no campo. Não entendo porque fecharam a porta e se foram embora... "Esperem"!!! - lati..."esqueceram-se de mim...!!!". Corri atrás do carro com todas as minhas forças...a minha angústia aumentou ao perceber que o carro se afastava e eles não paravam. Tinham-me abandonado...

17 meses
Procurei, em vão, achar o caminho de volta à casa. Sento-me no caminho, estou perdido e algumas pessoas de bom coração que me olham com tristeza e me dão algo de comer... Eu agradeço com um olhar do fundo de minha alma... quisera que me adoptassem, eu seria leal como ninguém. Porém eles apenas dizem "pobre cãozinho, deve estar perdido".

18 meses
Outro dia passei por uma escola e vi muitas crianças e jovens como os meus "irmãozinhos". Cheguei perto deles e um grupo, aos risos, atirou-me uma chuva de pedras "para ver quem tinha melhor pontaria"... uma dessas pedras atingiu um dos meus olhos e desde então não vejo com ele.

19 meses
Parece mentira mas quando eu estava mais bonito as pessoas compadeciam-se mais de mim... Agora que estou muito fraco, com um aspecto bem mudado.... perdi o meu olho, as pessoas tratam-me aos pontapés quando pretendo deitar-me na sombra...

20 meses
Quase não posso me mover. Hoje, ao atravessar a rua por onde passam os carros, um deles me atropelou. Pelo que sei, estava num lugar seguro chamado "sarjeta", mas nunca vou me esquecer do olhar de satisfação do motorista ao fazê-lo. Oxalá me tivesse matado... porém só me partiu as pernas.
A dor é terrível, minhas patas traseiras não me respondem e com dificuldade arrastei-me até uma moita de ervas fora da estrada... Já faz 10 dias que estou em baixo de sol, chuva e frio, sem comer.
Não me posso mover, a dor é insuportável, nunca me abandona. Sinto-me muito mal, estou num lugar húmido e parece que o meu pelo está a cair. Algumas pessoas passam e não me vêem; outras dizem: "não te aproximes".
Já estou quase inconsciente, porém uma força estranha me fez abrir os olhos. A doçura da sua voz fez-me reagir. "Pobre cãozinho, como te deixaram", dizia... junto a ela estava um senhor de roupa branca que começou a tocar-me e disse: "Sinto muito senhora, mas esse cão já não tem remédio, o melhor é que deixe de sofrer."
A gentil senhora consentiu, com os olhos cheios de lágrimas. Como pude, mexi o rabo e olhei para ela, agradecendo por me ajudar a descansar... Senti somente a picada da injeção e dormi para sempre, pensando em porque nasci, se ninguém me queria...

Moral da história: A solução não é deixar um cão na rua, mas sim educá-lo. Não transforme num problema uma grata companhia. Ajude a despertar as consciências para acabar com o problema dos cães de rua. Envie este texto a todos que puderes.

Todos os cães agradecem!
publicado por SoniaGuerreiro às 10:28
tags:

De acordo com a Organização Mundial de Saúde (OMS), «obesidade é uma doença em que o excesso de gordura corporal acumulada pode atingir graus capazes de afectar a saúde, tanto mais que, uma vez instalada, tende a perpétuar-se, constituindo-se como uma verdadeira doença crónica.»

Além da quantidade total de gordura do corpo, é importante saber como é que ela está distribuída, pois disso depende a gravidade da situação, e os riscos associados a essa obesidade.

Existem dois grandes tipos de obesidade:

1) Obesidade ginóide - típica da mulher, em que a gordura se localiza principalmente nas nádegas e coxas.

2) Obesidade andróide - típica do homem, em que a gordura se acumula especialmente no abdómen.

A obesidade pode, no entanto, deixar de ser uma doença crónica. Para isso, basta ter força de vontade, cumprir uma dieta saudável e fazer exercício físico.

 

Regras que ajudam a emagrecer do Plano XL

No dia-a-dia:

 

  • Tente não saltar refeições. É importante que o intervalo entre as refeições não ultrapasse as 3 horas, com uma tolerância de mais ou menos meia hora.

     

  • Procure ter um horário regular para as refeições e evite petiscar nos intervalos entre elas.

     

  • Beba entre 6 a 8 copos de água por dia. Também pode tomar infusões de ervas ao longo do dia, desde que não adicione açucar. O chá e o café também são permitidos, mas não em excesso.

     

  • Coma devagar e mastigue bem os alimentos.

     

  • Dê preferência ao peixe e às aves e evite as carnes vermelhas.

     

  • Evite os doces e os produtos de pastelaria, pois são alimentos muito ricos em gordura e excessivamente calóricos.

     

  • Evite consumir bebidas alcoólicas, já que fornecem muitas calorias.

Na hora das compras:

 

  • Faça as compras depois de ter comido. Não é fácil resistir às tentações com a barriga vazia.

     

  • Elabore uma lista de compras para evitar encher o carrinho de produtos hipercalóricos.

     

  • Procure não passar nos corredores onde estão os alimentos que deve evitar.

     

  • Leia os rótulos dos produtos e preste atenção ao valor nutricional dos produtos.

     

  • Compare as características de produtos semelhantes e escolha os menos gordos e menos calóricos.

Nas refeições fora de casa:

 

  • Evite os salgadinhos e os aperitivos industriais.

     

  • Como entrada eleja as verduras: sopa, salada ou espargos.

     

  • No segundo prato, a acompanhar peixe ou carne grelhados, cozidos ou assados no forno, inclua sempre uma quantidade generosa de legumes.

     

  • Rejeite os molhos e não exceda a quantidade de farináceos.

     

  • Não se deixe tentar por bebidas alcoólicas, sumos ou refrigerantes, pois fornecem muitas calorias.
publicado por SoniaGuerreiro às 10:24
tags:

Consumir fibras, mastigar bem os alimentos, beber muita água ou fazer exercício físico são máximas para a manutenção da saúde em geral e regras obrigatórias para quem tem problemas digestivos.

Mesmo assim, há certos problemas que insistem em persistir mesmo entre as aquelas pessoas que se "portam bem".

Devido à persistência das anomalias são cada vez mais aqueles que recorrem a métodos de tratamento alternativo e, entre o enorme leque de terapias existentes, e que preferem a Fitoterapia, graças à sua eficácia comprovada e efectiva.

Desde que convenientemente prescritas, as plantas e outros componentes de origem vegetal conseguem operar verdadeiros "milagres" e sem os indesejáveis efeitos secundários dos químicos.

Eis algumas das plantas que podem aliviar e curar diarreias ligeiras, digestões difíceis, obstipações, insuficiências biliares e outros problemas digestivos:

Laxativos: Carvalho Marinho e Aloés do Cabo
As fibras do Carvalho Marinho (alga bretã) associadas aos alóes têm excelentes propriedades laxativas. O Aloé do Cabo, uma espécie africana de aloé é também indicado para casos de obstipação ocasional, graças ao seu efeito estimulante.

Obstipação: Ispaghul
Ispaghul é uma fitofibra conhecida, desde tempos remotos, pelo tratamento da desinteria. É especialmente rica em fibras e é muito utilizada em dietas pelo seu efeito de "cortar a fome". Mas além de contribuir para a sensação de satisfação alimentar, ideal nos regimes dietéticos, consegue ainda regularizar o trânsito intestinal e impedir a absorção de gorduras e de açúcares no aparelho intestinal.

Digestão Difícil: Alcachofra
Também conhecida por Cardo Selvagem, a Alcachofra é uma das plantas mais reconhecidas pela sua capacidade de redução de sobrecargas hepáticas e biliares. Graças a componentes orgânicos, como a cinarina, é uma excelente arma contra digestões difíceis.

Flatulência: Carvão Vegetal e Levedura de Cerveja
O Carvão vegetal, graças ao seu elevado poder de absorção, consegue absorver eficazmente toxinas e produtos de fermentação. A Levedura de Cerveja é um ingrediente excelente para o equilíbrio da flora intestinal , sendo também ideal para o alívio das dores abdominais.

publicado por SoniaGuerreiro às 10:22
tags:

05
Mar 07
Ai como ando desleixada com o meu blog!!!!
publicado por SoniaGuerreiro às 11:31
tags:

Março 2007
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3

4
5
6
7
8
9
10

11
12
13
16
17

18
19
20
21
22
23
24

25
26
28
29
30
31


subscrever feeds
Email
ainosccguerreiro@sapo.pt
mais sobre mim
Visitas
blogs SAPO