30
Jul 07
Hoje de manhã foi dia de vacinas!
Lá fomos as duas, eu e a Gabriela, levou duas, uma em cada braço, e nem verteu uma lágrima, é uma grande mulher, a minha linda filha!


publicado por SoniaGuerreiro às 22:15
tags:

Ontem, fiz anos, 32 anos!
Um dia banal, tão insignificante, que quase que me esqueci que fazia anos!
Simplesmente mais um!
publicado por SoniaGuerreiro às 22:11
sinto-me:
tags:

Estamos a assar, aqui em Beja!
Não se aguenta este calor!
Eu então, fico, sem acção para nada, nada mesmo!
publicado por SoniaGuerreiro às 22:08
tags: ,

26
Jul 07

26 de Julho hoje assinala-se o Dia dos Avós. O assinalar desta data é recente e pretende homenagear os avós que na actual sociedade têm um papel fundamental no desenvolvimento dos netos.

 

26 de Julho hoje assinala-se o Dia dos Avós. Este dia foi escolhido para a comemoração porque é o dia de Santa Ana e São Joaquim, pais de Maria e avós de Jesus Cristo.

O assinalar desta data é recente e pretende homenagear os avós que na actual sociedade têm um papel, muitas vezes, fundamental no desenvolvimento dos netos. Nos dias de hoje, para muitas crianças os avós, por falta de tempo dos pais, são a única referência de estabilidade, afecto, atenção e segurança, que lhes permite crescer.

A Psicóloga Margarida Ramos afirmou, à Voz da Planície, que os avós têm neste momento um papel importante e muito diversificado junto dos netos e apresentou alguns exemplos

A psicóloga Margarida Ramos afirmou ainda que os avós, muitas vezes, são tão importantes na estrutura familiar que ajudam mesmo a consolidar os laços afectivos.

Aos meus avós, sim porque viva só já tenho uma, mas a minha verdadeira avó, a AVÓ NENA, a ela quero aqui deixar mais uma vez um grande e ternorento beijinho e abraço.

Aos avós da minha filha, que são todos 5*, deixo aqui também um grande beijinho, em nome da Gabriela.

publicado por SoniaGuerreiro às 11:15
tags:

24
Jul 07
Estratégias para derrotar um dos maiores adversários da sua imagem: a halitose

Quando se fala em qualidade de vida, qual é a primeira imagem que lhe ocorre? Uma ilha paradisíaca, uma suite com vista para o mar ou um automóvel topo de gama? Estas são talvez algumas das hipóteses que lhe passaram pela cabeça mas e se lhe dissermos que a tal qualidade de vida pode depender de algo invisível?

De algo tão pessoal e essencial como o ar que expira? Segundo uma pesquisa realizada no Brasil, cerca de 50 milhões de pessoas não tem um hálito fresco e a maioria dos inquiridos que sofre deste problema admite que afecta a sua auto-estima, intimidade, vida social e até profissional.

As causas são múltiplas e ninguém está totalmente imune. Por isso, nada como conhecer bem o inimigo para melhor o enfrentar. Para consultar o nosso guia prático para uma higiene oral exemplar clique aqui.


O que é?

Embora tenha uma designação específica, a halitose não é uma doença. Pode, aliás, ser o reflexo de outras patologias ou quadros clínicos como, por exemplo, infecções bacterianas na boca e garganta, diabetes, problemas digestivos, renais ou respiratórios (como a rinite ou bronquite).

Sabe-se também que ter a boca seca é outra das causas. Isto porque a falta de saliva, responsável pela limpeza
natural da boca, permite que as células mortas se
depositem na língua e cavidade bucal e causem mau odor.

Para além disso, alguns tipos de alimentos ou uma
deficiente higiene oral figuram como as principais razões
do indesejável mau hálito.


Maus hábitos

Cada vez que comemos, ficam depositadas na boca, sobretudo na língua e dentes, partículas responsáveis pelo aparecimento de placa bacteriana e odores desagradáveis. Para além dos famosos alho e cebola, cuja composição penetra no fluxo sanguíneo e se manifesta através da respiração até ser eliminada do organismo, existem outros suspeitos.

É o caso das especiarias e dos lacticínios, carne e peixe, cujas proteínas fornecem alimento às bactérias que se desenvolvem na boca. O consumo de bebidas alcoólicas e de tabaco é também nocivo, já que não só deixa resíduos denunciadores como seca a boca.


Quebrar o tabu

Avaliar o sabor da sua boca, perguntar a opinião ao parceiro ou
verificar se a saliva é bastante viscosa podem ser formas de
detectar um problema que figura no top três de características
menos atraentes numa pessoa.

Existem outros truques que podem ajudar a analisar o próprio hálito, como raspar a zona anterior da língua com uma colher para avaliar o odor. Mas, para os especialistas da British Dental Association, o
principal passo para erradicar este problema, que atinge um quarto
da população adulta, é uma higiene oral exímia.


Contra-ataque

Na grande maioria dos casos, é possível restaurar o hálito fresco com uma boa higiene oral (complementada com o uso regular de fio dental e elixir) e apostando numa dieta rica em vegetais e fibra e evitando os refrigerantes, café e alimentos condimentados.

Para prevenir a secura da boca, deve-se beber água com frequência e mastigar pastilhas elásticas (sem açúcar) que favorecem a salivação. Se o situação persistir deve consultar um dentista. Caso a halitose não seja de origem dentária, o diagnóstico pode ser feito recorrendo a outros exames médicos.


In Sapo Saude
publicado por SoniaGuerreiro às 20:55
tags:

Truques e dicas para resultados bonitos e saudáveis

Unhas fenomenais
Ter as unhas bonitas é imprescindível e custa muito menos do que se pensa. Além disso, os homens adoram mãos bem cuidadas. Em Marrocos , não se utiliza muito o verniz, mas têm sempre as unhas brilhantes, porque as esfregam com uma esponja embebida em vinagre.
Lembre-se que, para fazer isto, tem que ser numa tarde em que saiba que não vai sair durante algum tempo, para que a mistura possa actuar. No final lave bem as mãos para eliminar o cheiro forte do vinagre. Verá como o resultado vale bem a pena.

Unhas amarelas
Os cigarros são os principais responsáveis pelo aparecimento de uma cor amarelada nas unhas, assim como o uso de vernizes escuros sem base protectora. Este amarelo desaparece se esfregar a zona com sumo de limão natural. De seguida massaje com um creme próprio para mãos e unhas.

Unhas inflamadas
Se uma unha inflamou, ficou dorida ou rachada, massaje-a com azeite.

Unhas brilhantes
Para aumentar a durabilidade do brilho das unhas, uns dias depois de pintar as unhas, espalhe por cima outro verniz incolor.

Mãos lisas
Misture açúcar na espuma de um sabonete: as suas mãos vão ficar lisas e esfoliadas. Também pode obter o mesmo efeito ao passar pelas mãos sumo de limão com açúcar. Se optar pela segunda solução, lave as mãos, pois o limão em contacto com o sol provoca manchas na pele.


 

In Saude Sapo

publicado por SoniaGuerreiro às 10:00
tags: ,

Sete cuidados indispensáveis

Não basta, apenas, visitar a pedicure. É importante ter cuidados diários com os pés. Não só está a contribuir para que fiquem impecáveis no Verão, quando usa sandálias, mas também a contribuir para o seu bem-estar!

Eis alguns cuidados que deve ter em conta, todos os dias:

Lime os pés
A pele dos pés é mais espessa e resistente do que a de outras áreas do corpo, por isso facilmente a sola fica com calosidade e células mortas. Assim, para retirar o excesso de calosidade deve limar, semanalmente, a região dos calcanhares e a sola com uma lima própria para os pés ou com uma pedra-pomes. A melhor altura para limar os pés é depois do banho, já que a pele está mais mole.

Pés macios
Para amolecer a pele dos pés deixe-os de molho, durante dez minutos, em água morna com vinagre (para cada litro de água acrescente meio copo de vinagre). De seguida, massage os pés com óleo de amêndoas ou com um creme hidratante. Faça isto uma ou duas vezes por semana.
Esta é também uma boa altura para limar os pés e as unhas, mas antes de massajar os pés com o creme.

Unhas impecáveis
Corte as unhas de quinze em quinze dias, de preferência depois do banho. Use um alicate ou uma tesoura para as cortar. Também pode simplesmente apará-las com uma lima, sobretudo se for regularmente à pedicure. Não deve cortar demasiado as unhas nem deixá-las muito compridas. O facto de estarem muito compridas contribui para a acumulação de resíduos e sujidade; e se as cortar demasiado pode correr o risco de lhe encravar uma unha.

Cuidado com a cutícula
Para ter umas unhas apresentáveis, o ideal é empurrar a cutícula cuidadosamente com uma espátula própria. O excesso de pele pode ser removido com o alicate, mas tem de ter muito cuidado, pois pode correr o risco de ter uma inflamação. Se não estiver habituada a retirar o excesso de pele, depois de empurrar a cutícula, o melhor é deixar esta tarefa para a pedicure.

Lave os pés
Lave muito bem os pés! Não basta deixar que escorra a água enquanto toma um duche. Deve passar com a esponja entre os dedos. Depois do banho, é importante secar muito bem os pés, pois a humidade acumulada pode dar origem a micoses.

Protector solar
Na praia, coloque protector solar nos pés. Apesar de terem uma pele mais resistente, não devem de forma alguma serem esquecidos. Além de evitar que a pele fique ressequida, está igualmente a prevenir o cancro de pele.

Calos: o que fazer?
O uso de sapatos apertados, não arejados e de salto alto facilita o aparecimento de calos. Este devem ser retirados por uma especialista. Mas, a calosidade que costuma aparecer na zona dos calcanhares e na sola dos pés não passa de uma reacção natural da pele ao atrito causado pelo andar, pela má postura ou pelo uso de certo tipo de calçado. Para atenuar esta calosidade, deve limar os pés, corrigir a postura e usar calçado confortável. Se não fizer nada, a calosidade acumula, o que é pior.

publicado por SoniaGuerreiro às 10:00
tags: ,

23
Jul 07

Infância

No meu tempo de criança, a televisão passava filmes repetidos de cowboys, Tarzan, Heidi, Marco e... Gabriela, a mulata de Jorge Amado. Bonecada e aventura à parte, foi a primeira vez que um peito inacessível de mulher me alimentou o imaginário. A horas decentes e indecentes.

Comia de tudo, a más horas e de forma industrial.

Na rua, esmurrava-me com frequência.

Subia a árvores e estatelava-me.

Usava fisgas, apanhava «cabeçudos» e «sardoniscas», como então dizíamos.

Rasguei calças e calções.

Rompi botas e sapatilhas.

Os meus pais, que contavam cada tostão para me pôr a estudar, tremiam de cada vez que me viam chegar. Da escola, ao longo do ano, trazia normalmente três coisas: cara farrusca, uma história mal contada sobre uma camisa rasgada e umas quantas notas tremidas.

Engalfinhava-me com frequência.

Dava e levava. Levava mais do dava.

Comia pó, mas mordia um braço, pelo menos.

A minha avó materna sempre disse que o rapaz não daria em nada. Melhor era pô-lo nos eixos antes que se perdesse de vez. Era rebelde, o ganapo! Não se lhe tinha mão nem freio. Pusesse ele os olhinhos nos primos, quase sempre bem comportados, e talvez ainda se fosse a tempo de fazer dele alguém. Médico, quem sabe?

Em casa dos meus pais e familiares, devorava tudo o que era para ler. As estantes estavam sempre recheadas, havia jornais às catadupas, revistas, banda-desenhada de todo o tipo, com erotismo à mistura (Barbarella, conhecem?) Li Lenine e a Penthouse (não era bem ler...), Tom Sawyer e a Gaiola Aberta.

Havia discussões acaloradas.

Quando penso nesses dias lembro-me sempre da família italiana de Fellini, representada em Amarcord. Nos grandes almoços e jantares com tios, tias, pais e avós, as palavras nunca foram insossas. E os comportamentos eram sempre desviantes, sem a graça de Deus.

Havia cuidados com a criançada, claro, mas o sal e a pimenta da vida nunca faltavam à mesa. Das conversas às anedotas.

Vi entrar e sair pela porta namorados e namoradas dos tios, casamentos, separações e divórcios. Enamoramentos, encantamentos e desilusões.

Quando aos 12, 13 anos, li às escondidas o relatório Shere Hite sobre a sexualidade feminina, um calhamaço de meter respeito, percebi que os homens só podiam ser uns idiotas e as mulheres andavam muito mal frequentadas. Percebi também, finalmente, que «Os Cinco» estavam datados e que o doutor Benjamin Spock teria de esperar.

A minha infância teve ranho, as doenças todas, asneira da grossa e ganga coçada. E, no rabo, uma boa sapatada sempre que a traquinice me punha em perigos e desesperava a família.

Cresci. Simplesmente.

Hoje, quando vejo crianças mantidas em redomas, entregues a falsas palavras mansas, cenários virtuais, prendas de «não me chateies» e paciência de pacotilha, lembro-me da minha infância. Vadia. Perigosíssima, exposta. Capaz de me fazer feliz, até.
In Devida Comédia - Miguel Carvalho - VISÃO
publicado por SoniaGuerreiro às 12:05

22
Jul 07
"É mais fácil cravar a faca no boi do que a unha na pulga"
publicado por SoniaGuerreiro às 21:13

Passos simples para fazer as pazes com a sua balança, com a ajuda de um endocrinologista

Imagine o que seria vestir um casaco com cinco bolsos e colocar, em cada um deles, um quilo de areia. Não parece uma ideia nada confortável pois não? Pois é exactamente assim que o organismo se sente quando a balança acusa uns quilos extra.

Em termos de saúde, essa diferença começa a fazer-se sentir na tensão arterial, no abrandamento do ritmo cardíaco ou na resposta das articulações. Mas é na mente que se sente mais depressa o seu impacto.

Aqueles jeans do ano passado já não ficam bem e a imagem que vê ao espelho não corresponde à que tem de si própria. Conclusão: é preciso fazer alguma coisa!

A não dieta

São só cinco quilos por isso uma dieta intensa resolve já o problema. Adivinhámos o seu pensamento? Então fique a saber que está no mau caminho. Se deseja apagar peso de forma saudável, tome nota: apenas deverá perder «entre 250 g e meio quilo por semana. Mais do que isso «é excessivo», defende José Luís Medina, endocrinologista.

E a boa notícia é que não terá de sofrer. Basta optar por alternativas alimentares mais saudáveis. Assim, prefira pratos cozidos, grelhados ou cozinhados com pouca gordura. Mantenha o equilíbrio entre a carne e o peixe, evite a carne gorda e retire toda a gordura visível que esta tiver.

Use e abuse dos legumes e saladas e limite o menu de sobremesas à fruta. Os hidratos de carbono são para consumir com moderação e incluir sempre no prato, e nem o pão tem de ser excluído, exemplifica o especialista: «Pode comer um pão bem cozido de manhã e ao lanche», assegura.

A sopa é a sua aliada. «É essencial pela riqueza em minerais e fibras. Além disso, permite que se coma menos do prato principal. Evite dispensar a sopa pois acelera o esvaziamento gástrico e o objectivo é que, no estômago, ocupe o espaço que seria preenchido por outros alimentos», explica.

E as bolachas?

Agora que já viu como deverá ser a refeição, resta saber como enfrentará os momentos difíceis. Tendo em conta que o menu diário já inclui seis refeições, isso não deve suceder. Mas, se o improvável acontecer, há uma solução: água.

Neste ponto José Luís Medina é peremptório: «Se, para além das três refeições intermédias, a pessoa sentir fome deve beber água. Há reflexos transmitidos pela dilatação das paredes do estômago que iludem o cérebro e dão a sensação de saciedade», sublinha.

«O exercício físico, como uma caminhada de meia hora, não deve ficar de parte, devido ao «binómio entre o que se come e o que se gasta», acrescenta ainda.

E sabe porque afirmámos que esta era uma não dieta? Porque é a alimentação saudável que deve seguir desde já, pois em questões de peso não importa apenas perder peso, mas mantê-lo.

MENU PARA UM DIA

Pequeno-almoço
Pão pequeno (bem cozido) + compota sem açúcar ou uma fatia de queijo magro ou de fiambre de peru
Leite com café

Meio da manhã
1 peça de fruta ou um iogurte magro

Almoço
Sopa de legumes
Carne/peixe (no máximo 125 g)
1 porção de arroz, batata, massa ou feijão
Legumes cozidos ou salada
1 peça de fruta

Lanche
Idêntico ao pequeno-almoço ou iogurte e peça de fruta

Jantar
Sopa de legumes
Carne/peixe (no máximo 125 g)*
1 porção de arroz, batata, massa ou feijão
Legumes cozidos ou salada
1 peça de fruta

Ceia
1 copo de leite ou um iogurte magro

* Em alternativa pode optar por dois ovos em omolete

Texto: Manuela Vasconcelos com José Luís Medina (endocrinologista)

 

In Sapo Saude


E eu q precisava tanto de perder esses tais 5 quilinhos!!
A ver vamos, se é desta!!!
publicado por SoniaGuerreiro às 20:47
tags: ,

Julho 2007
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5
6
7

8
9
12
13
14

19
21

25
27
28

29
31


subscrever feeds
Email
ainosccguerreiro@sapo.pt
mais sobre mim
Visitas
blogs SAPO