15
Jul 07

Quer acabar com o vício? Passo a passo, um plano infalível para deixar o tabaco


Por toda a Europa, a polémica está lançada com as duras medidas e novas leis que restringem o consumo de tabaco em locais públicos. Portugal não é excepção e prepara-se para a seguir as tendências internacionais. O cerco aos fumadores está a apertar mas, mesmo assim, não é fácil quebrar o hábito. Não continue a adiar o inadiável. A verdade é que nunca existirá a altura ideal para deixar de fumar. E você sabe disso. Seja qualquer for a sua razão para o fazer, o que importa é que elimine de vez esse vício. Queremos que aposte em si, acredite na sua força de vontade, esqueça os medos e passe a controlar a sua vida. Leia atentamente o que se segue e prepare-se para mudar.


O primeiro passo

Este é o momento principal, será ele o fio condutor de todo o processo. Tenha em atenção que o seu grau de convicção é a chave do sucesso da operação e que a ajudará a solidificar a sua força de vontade. Portanto, antes de começar, trate de se convencer. Informe-se sobre os malefícios do tabaco e torne-se consciente dos danos que faz a si própria cada vez que fuma. Veja imagens, leia, pesquise. Esteja ciente das consequências que enfrentará se continuar a fumar. Consciencialize-se e trate de si.


Prós e contras

Faça uma lista das vantagens de deixar de fumar. Esta lista vai ser-lhe seguramente útil nos momentos mais difíceis. Guarde-a, acrescente novos dados e releia sempre que sentir a sua força de vontade a diminuir.
Informe-se também sobre as terapêuticas que ajudam a diminuir as queixas provocadas pela ausência da nicotina. Estes métodos podem ser uma ajuda preciosa para superar o mal-estar e a ansiedade que polvilham os primeiros dias.


A decisão

Defina a data em que deixará de fumar. Escolha um dia que tenha um significado especial para si ou tenha em conta a sua rotina tabagista e opte por um dia que não lhe seja tão difícil. Por exemplo, se fuma muito no local de trabalho, opte por iniciar a sua missão no fim-de-semana.

Sem fumo

É chegado o Dia D. Agora já sabe o que tem de fazer: não fumar. Aconteça o que acontecer, não fume, nem um único cigarro que seja. Se sentir vontade, espere, abstraia-se, tente pensar noutra coisa. Acredite que irá passar. Avise as pessoas com quem convive (amigos, colegas de trabalho, família) que resolveu deixar de fumar. O apoio dos outros pode ser útil para reforçar a sua motivação. Não se esqueça de os avisar para que nunca, em caso algum, lhe ofereçam um cigarro. E agora que todos sabem, tente cumprir a sua palavra.

Truques de principiante

Viva um dia de cada vez. Pensar que nunca mais vai fumar apenas irá aumentar a sua ansiedade. Passados os primeiros dias, quando sentir muita vontade de fumar, lembre-se da ansiedade que sentiu nos dias anteriores e de como a superou.


Mude de vida

Nesta nova fase é aconselhável modificar a sua rotina. Beba muita água e sumos de fruta ricos em vitamina C (que ajudam a elim inar a nicotina do organismo). Outro truque passa por optar pelo chá em vez de café, já que este intensifica a ansiedade e está associado ao acto de fumar (tal como as bebidas alcoólicas). Faça uma dieta fraccionada e equilibrada, evitando alimentos e bebidas açucarados, que para além de engordarem, impedem a absorção de vitaminas que são essenciais nos primeiros dias sem cigarros.

Moral da história

Deixar de fumar só traz vantagens e dá-lhe anos de vida. Não tem qualquer contra-indicação. A sua pele, hálito, paladar e olfacto melhoram drasticamente assim como a sua qualidade de vida. A sua casa e as suas roupas já não cheiram a tabaco. Pode ganhar dinheiro todos os dias, fazendo um mealheiro com o valor que gastaria num maço. E, ainda, diminui o risco de os seus filhos contraírem doenças respiratórias e reduz para metade a probabilidade de sofrer de cancro pulmonar e doença cardiovascular. Consegue encontrar alguma boa razão para continuar a fumar?

Ajudas extra
As sugestões terapêuticas de primeira linha que a ajudam a deixar de fumar:

Pastilhas mastigáveis de nicotina
Reproduzem a sensação de prazer que se tem quando se fuma um cigarro. Quando a vontade de fumar é muita, apresentam-se como uma arma eficaz. Devem ser mastigadas de forma lenta, até sentirmos um sabor forte - o da nicotina a ser libertada. Deve-se parar de mastigar, colocando a pastilha entre a bochecha e a gengiva, até que o sabor pronunciado desapareça. É aconselhável manter a mastigação, por pastilha, entre vinte a trinta minutos.

Adesivos transdérmicos de nicotina
Os adesivos transdérmicos mantêm os níveis de nicotina constantes e ajudam a diminuir os sintomas de privação típicos, provocados pela falta de nicotina no organismo. O adesivo deve ser colocado de manhã, após o banho, numa zona sem pêlos, limpa e que não tenha feridas. A parte superior do braço ou a anca são boas opções. De forma a evitar que a pele fique irritada, é aconselhável mudar todos os dias o local de aplicação do adesivo que só é retirado quando nos vamos deitar.

Cloridrato de bupropiona
Fármaco anti-depressivo (que só deve ser tomado por prescrição médica) que consegue reduzir os sintomas de abstinência, actuando junto de substâncias químicas cerebrais que estão associadas à dependência da nicotina. Como consegue produzir a sensação de prazer equivalente à provocada pela nicotina, é mais fácil ultrapassar as queixas e continuar sem fumar. No entanto, este medicamento tem várias contra-indicações, onde se destacam o alcoolismo, anorexia ou história de traumatismo craniano.

Apoio psicológico
Os métodos que envolvem os substitutos de nicotina só actuam ao nível das queixas físicas, pelo que é benéfico procurar apoio psicológico. Pesquisas já revelaram que combinar a utilização de substitutos de nicotina com acompanhamento psicológico duplica a probabilidade de se ser bem sucedido.


In Saúde Sapo
publicado por SoniaGuerreiro às 20:59
tags:

Julho 2007
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5
6
7

8
9
12
13
14

19
21

25
27
28

29
31


Email
ainosccguerreiro@sapo.pt
mais sobre mim
Visitas
Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

blogs SAPO