16
Jan 09

Infecção pelo vírus sincicial respiratório


A infecção pelo vírus sincicial respiratório é uma doença viral contagiosa que afecta os pulmões.

O vírus sincicial respiratório provoca surtos de doenças pulmonares todos os anos no fim do Outono e no início do Inverno. A infecção transmite-se ao inalar microgotas transportadas pelo ar que contêm o vírus ou então ao tocar numa pessoa ou em objectos infectados. O vírus sincicial respiratório é a causa mais frequente de infecções pulmonares, incluindo bronquiolite e pneumonia, em bebés e crianças pequenas. As infecções em bebés podem ser graves e até mortais. Também podem desenvolver sintomas graves as pessoas mais velhas e as que sofrem de doença pulmonar crónica. Os adultos sãos e as crianças mais velhas costumam desenvolver uma infecção pulmonar ligeira ou moderada. A infecção proporciona apenas imunidade parcial, pelo que é possível contrair a infecção mais vezes. No entanto, as infecções subsequentes pelo vírus sincicial respiratório são menos graves do que as primeiras.

Sintomas e diagnóstico

Os sintomas de infecção pelo vírus sincicial respiratório começam entre o 2.º e o 8.º dia depois do contágio. As primeiras manifestações são a congestão nasal e a garganta irritada, e vários dias depois seguem-se as dificuldades respiratórias, arquejos e tosse. Os bebés podem ter febre. Os sintomas têm tendência para serem mais leves nas crianças mais velhas e nos adultos, em quem a infecção pode parecer-se com uma gripe ou com uma constipação comum ou então não provocar qualquer sintoma. Os sintomas têm também tendência para serem mais ligeiros em quem antes possa ter estado exposto ao vírus. A infecção é mais grave nas crianças pequenas e nas pessoas com doenças subjacentes, sobretudo de índole respiratória.

O diagnóstico baseia-se normalmente nos sintomas. As análises de laboratório podem identificar o vírus ou os seus anticorpos em amostras de sangue, mas raramente são necessários.

Prognóstico e tratamento

As crianças mais velhas e os adultos costumam melhorar sem tratamento em aproximadamente 9 dias depois do aparecimento dos sintomas. No entanto, nos mais pequenos e nos que estão muito afectados, estes podem durar muito mais tempo e até pode acontecer precisarem de tratamento intensivo no hospital para manter uma respiração adequada.

publicado por SoniaGuerreiro às 22:43

03
Set 08

Dance pela casa – o bebé pode já sentir o seu corpo a mexer.
 

O bebé tem mais de 28 centímetros e pesa cerca de meio quilo. É possível que agora já sinta os seus movimentos, por isso ponha música divertida e dance pela casa. Independentemente da etnia do bebé, nesta fase a pele é vermelha e enrugada e será provavelmente cor-de-rosa ou avermelhada ao nascimento. Os vasos sanguíneos visíveis através da pele transparente do bebé estão na origem desta coloração. A tonalidade definitiva da pele desenvolve-se ao longo do primeiro ano.

Os vasos sanguíneos nos pulmões do bebé estão a desenvolver-se para o preparar para a respiração, mas vão ser precisos ainda muitos mais meses para completar o desenvolvimento pulmonar. Os pulmões são o último órgão a completar o desenvolvimento nos bebés. É por esse motivo que os bebés prematuros (que nascem antes das 37 semanas de gestação) têm muitas vezes dificuldade em respirar. Um bebé que nascesse esta semana poderia sobreviver com a ajuda de cuidados médicos intensivos, mas o risco de complicações graves seria muito elevado.

 

In Sapo Familia - Desenvolvimento Fetal

publicado por SoniaGuerreiro às 11:36

05
Ago 08

 

Uma fatia de cenoura parece um olho humano. A pupila, íris e linhas raiadas são semelhantes ao olho humano... e SIM, a ciência agora mostra que a cenoura fortalece a circulação sanguínea e o funcionamento dos olhos.

 

 

Um tomate tem quatro câmaras e é vermelho. O coração é vermelho e têm quatro câmaras. Toda a investigação mostra que o tomate é de facto um puro alimento para o coração e circulação sanguínea.

 

 

 

As uvas crescem em cacho que tem a forma do coração. Cada uva assemelha-se a uma célula sanguínea e toda a investigação hoje em dia mostra que as uvas são

também um alimento profundamente vitalizador para o coração e sangue.

 

 

 


Uma noz parece um pequeno cérebro, com hemisférios esquerdo e direito, cerebelos superiores e inferiores. Até as rugas e folhos de uma noz são semelhantes ao neo-cortex. Agora sabemos que as nozes ajudam a desenvolver mais de 3 dúzias de neurotransmissores para o funcionamento do cérebro.
 




Os feijões realmente curam e ajudam a manter a função renal e sim, são exactamente idênticos aos rins humanos.

 

 

 


O aipo, bok choy, ruibarbo e outros são idênticos a ossos.

Estes alimentos atingem especificamente a força dos ossos. Os ossos são compostos por 23% de sódio e estes alimentos têm 23% de sódio. Se não tiver sódio suficiente na sua dieta o organismo retira sódio aos ossos, deixando-os fracos. Estes alimentos reabastecem as necessidades do esqueleto.

 

 

 
Berinjelas, abacates e pêras ajudam à saúde e funcionamento do ventre e do cervix feminino – eles são parecidos com estes órgãos. Actualmente a investigação mostra que quando uma mulher come um abacate por semana, equilibra as hormonas, não acumula gordura indesejada na gravidez e previne cancros cervicais.

E que profundo é isto?... Demora exactamente 9 meses para um cultivar um abacate de flor a fruta. Existem mais de 14 000 componentes químicos fotolíticos em cada um destes alimentos (a ciência moderna apenas estudou e nomeou cerca de 141).

 

 


Figos estão cheios de sementes estão pendurados aos pares quando crescem. Os figos aumentam a mobilidade e aumentam os números do esperma masculino, assim como ajudam a ultrapassar a esterilidade masculina.
   

 


 

As batatas doces são idênticas ao pâncreas e de facto equilibram o índice glicémico de diabéticos.

 

 

 
Azeitonas ajudam a saúde e funcionamento dos ovários.

 




Toranjas, laranjas e outros citrinos assemelham-se a glândulas mamárias femininas e realmente ajudam à saúde das mamas e à circulação linfática, dentro e fora das mamas.

 

 

As cebolas parecem células do corpo. A investigação actual mostra que a cebola ajuda a limpar materiais excedentes de todas as células corporais. Até produzem lágrimas que lavam as camadas epiteliais dos olhos...

 

publicado por SoniaGuerreiro às 21:19

31
Jul 08

Guardar ou não guardar as células estaminais do sangue do cordão umbilical?

A gravidez é um período fértil em dúvidas. Mas também é verdade que uma futura mãe está mais predisposta a procurar informação sobre os temas mais importantes para si nesta fase da sua vida. A criopreservação é um deles.

 

Há cada vez mais interesse em perceber a importância das células estaminais do sangue do cordão umbilical dos bebés para poder tomar a decisão sobre a sua criopreservação - uma decisão que tem de ser tomada antes do parto que é o único momento em que é possível efectuar a recolha.

 

O processo de recolha é extremamente simples, indolor e não envolve qualquer risco para a mãe ou para o recém nascido. O kit de criopreservação deve ser requisitado com algumas antecedência, tendo em conta que o parto pode ocorrer um pouco antes da data prevista.

 

A Crioestaminal, empresa líder e pioneira em Portugal neste processo, disponibiliza o CrioKit através do website www.crioestaminal.pt, telefone 231 410 900 ou directamente na maioria das farmácias. A Crioestaminal é o único laboratório com transplantes efectuados e o único que já ajudou a tratar uma vida em Portugal. A criança envolvida neste processo sofria de uma imunodeficiência combinada severa e foi transplantada no IPO do Porto.

 

Esta é apenas uma das mais de 60 aplicações terapêuticas das células estaminais criopreservadas. O recurso às células estaminais para o tratamento de doenças graves como sejam deficiências medulares, doenças metabólicas, imunodeficiências, hemoglobinopatias, leucemias, linfomas, etc. é cada vez mais frequente. O potencial é enorme e perspectivam-se novas aplicações terapêuticas para o futuro.

 

In Sapo Saúde

Mais informações:

http://www.crioestaminal.pt


14
Abr 08

Vacina para cancro da mama reduz morte em 50 por cento

Investigação dos Estados Unidos testa vacina que ajuda a evitar cancro recorrente

Uma equipa de investigadores dos Estados Unidos está a testar uma vacina para o cancro da mama, cujos primeiros resultados sugerem que reduz em 50 por cento o risco de morte em cancros recorrentes. A vacina foi criada para combater o tipo de cancro da mama onde existe uma elevada expressão da proteína HER2, que representa um quarto dos casos desta patologia e é tido como o mais mortal.

Segundo a agência Reuters, o estudo foi realizado com 163 mulheres. E, se for validado num teste mais alargado, poderá vir ser uma nova forma de tratar esta patologia, adianta Linda Benavides, líder do estudo realizado no Brooke Army Medical Center, Texas.

Os cientistas testaram a vacina em mulheres com elevados níveis de HER2 e também com baixos níveis desta proteína. Ao final de 30 meses de acompanhamento, os cientistas concluiram que a vacina reduz o risco de morte, em todas, em cerca de 50 por cento, sendo que nenhuma mulher do grupo com baixos níveis da proteína morreu neste período.

O trabalho, apresentado numa reunião da Associação Americana para a Pesquisa do Cancro mostrou também que houve uma recorrência da doença em 10.7 por cento das doentes com baixos indíces de HER2, comparativamente com 18.2 por cento do grupo de controlo. A equipa pretende agora testar a vacina num grupo de 700 mulheres. 


 

In Sapo Saúde

publicado por SoniaGuerreiro às 15:24

25
Jan 08
Sono é fundamental para vida saudável

O velho ditado popular que diz 'deitar cedo e cedo erguer dá saúde e faz crescer' está a ganhar uma nova actualidade à medida que os investigadores descobrem a importância do sono para uma vida saudável. "As pessoas, até há pouco tempo, acreditavam que o sono era uma fase inactiva do nosso dia-a-dia, era como desligar um botão, mas agora sabe-se que é um factor essencial para uma vida saudável", afirmou o investigador João Carlos Winck.

Na perspectiva deste especialista da Faculdade de Medicina da Universidade do Porto (FMUP), que defende que "o sono não tem sido levado a sério", a sociedade "está com uma dívida de sono". "O problema é que a duração média do sono passou nos últimos anos de umas razoáveis nove horas para apenas sete e há muita gente que não dorme mais do que cinco horas por noite", alertou.

As consequências desta "dívida de sono" traduzem-se, entre outras, num aumento da probabilidade de sofrer doenças cardíacas, estando também a ser estudada a influência que exerce na gravidez e nas alterações hormonais que podem levar à obesidade.




Diagnóstico precoce

Um dos problemas que actualmente se colocam, segundo João Carlos Winck, é a necessidade de sensibilizar os profissionais de saúde para a importância de um diagnóstico precoce. "Ainda não está nos hábitos dos profissionais de saúde perguntar ao doente como é que ele dorme", salientou o investigador, acrescentando que essa pergunta "pode permitir descobrir que existem perturbações no sono".

Uma dessas principais perturbações é a apneia do sono, que se caracteriza pelo ressonar intenso, associado a paragens respiratórias durante o sono e a sonolência excessiva durante o dia.

In Jornal de Noticias
publicado por SoniaGuerreiro às 09:46
tags: ,

03
Jan 08

Estamos no tempo delas mas podemos evitá-las. Saiba quais são as 11 maneiras de o conseguir

São ambas causadas por vírus (ainda que vírus diferentes), são muito contagiosas, têm uma alta incidência sobre a população e atacam nas estações frias. Chegam através das vias respiratórias e causam um grande mal-estar.

Uma vez contraídas, a única coisa a fazer é aliviar os seus sintomas e reduzir a duração ou a intensidade do processo. Existem medidas eficazes para não as contrair ou para diminuir a sua intensidade. Apenas tem de as pôr em prática.

Estas duas infecções costumam ser confundidas. No entanto, não são a mesma coisa. Coincidem apenas no facto de saturarem as consultas médicas e de ainda estarem envoltas em muito desconhecimento.

De qualquer das formas, apesar da sua incubação, sintomas, evolução e tratamentos apresentarem certas diferenças, as medidas de prevenção são muito semelhantes, com uma excepção: só a gripe pode ser prevenida através da vacinação anual.

Apesar destas medidas de protecção não serem eficazes a cem por cento (nem mesmo a vacina contra a gripe), ajudam a minimizar a possibilidade de contágio. Existe apenas um requisito: aplicá-las!

Se faz parte daquele grupo de pessoas que não prestam atenção aos conselhos médicos ou que, simplesmente, não os seguem, por acharem que se tiverem de adoecer, adoecem mesmo, independentemente daquilo que fizerem (como se fosse uma imposição do destino) está completamente enganada. O primeiro passo consiste em acreditar que a prevenção é eficaz, porque realmente funciona!

Eis as 11 medidas higiénicas e naturais que pode adoptar para que os germes o respeitem.

1. Evite as aglomerações em lugares fechados

As mudanças na humidade relativa do ar fazem com que os vírus se multipliquem e penetrem mais facilmente nas mucosas nasais. Os ambientes fechados e lugares com muito fluxo de pessoas, como os centros comerciais, salas de espectáculos ou estádios e transportes públicos, aumentam as possibilidades de contágio, pelo que convém evitá-los.

2. Cuidado com os ambientes extremos ou mutáveis

Apesar do frio favorecer as infecções virais, não é o seu único elemento desencadeante. As mudanças bruscas de temperatura, como as que ocorrem ao passar de zonas climatizadas (no carro ou lugares fechados) para as condições naturais do ar livre, bem como as condições exageradas de secura ou humidade, favorecem a proliferação de vírus no ambiente e uma maior vulnerabilidade das nossas membranas aos seus ataques.

3. Afaste-se dos cigarros: os seus e os alheios

Os fumadores têm mais possibilidades de contrair uma infecção já que fumar baixa as defesas do aparelho respiratório e da actividade imunológica em geral, favorecendo a entrada dos vírus.

Também correm mais risco de adoecer as pessoas que convivem habitualmente com fumadores, uma vez que inspirar o fumo, mesmo de forma passiva, irrita os tecidos respiratórios, tornando-os mais vulneráveis. Apesar de ser impossível viver em condições de isolamento (a única forma de evitar um contágio), pode-se evitar os ambientes com atmosferas carregadas.

4. Mantenha uma boa higiene

Lave as mãos frequentemente e, em especial, depois de estar em contacto ou cumprimentar uma pessoa que possa estar infectada.

Tente não tocar nos olhos, nariz ou boca se não tiver antes oportunidade de as limpar convenientemente, já que o vírus pode chegar até si, após tocar em objectos contaminados. Se não tiver água, utilize um desinfectante de mãos (sem enxaguar).

5. Tome precauções perante pessoas infectadas

Quando o inimigo está em casa, limpe e desinfecte com frequência as superfícies onde a pessoa constipada ou engripada tocou, como as maçanetas das portas, os corrimãos das escadas, as mesas ou copos.

Evite partilhar toalhas, loiças e utensílios e, sobretudo, não toque nos seus lenços, um autêntico viveiro de vírus. Os beijos, ou partilhar o mesmo alimento também não são recomendáveis porque o contacto é mais directo.

6. Actividade física regular: a barreira ideal

Caminhar uma hora por dia, treinar no ginásio duas vezes por semana ou andar de bicicleta, bem como a prática de qualquer exercício moderado em geral, reduz de forma significativa o risco de contrair este tipo de doenças.

As pessoas com uma vida fisicamente activa têm o seu sistema imunológico mais bem preparado para se defenderem da imensidão de vírus que existem no ambiente e que nos podem atacar a qualquer momento.

7. Conheça as formas de contágio

Para combater o inimigo é preciso conhecê-lo. As gotas de saliva expelidas ao falar, tossir ou espirrar são as principais causas de contágio. São partículas com vírus que chegam aos 20-25 m metros de distância.

Não desaparecem imediatamente: permanecem activas no ar que respiramos, nos objectos que nos rodeiam e na pele, durante bastante tempo. São mais contagiosas durante os primeiros dias da doença, mas depois o seu poder de infecção decresce.

8. Se as suas defesas baixarem... esteja alerta!

As possibilidades de contágio e de complicações provocadas pela gripe e pela constipação são maiores nas crianças, que têm as suas defesas imaturas, e nos idosos, que as têm debilitadas.

Nas pessoas com doenças crónicas, como diabetes, asma, DPOC (Doença Pulmonar Obstrutiva Crónica), doenças cardíacas ou pulmonares, ou que têm as suas defesas diminuídas por qualquer outro motivo, a infecção pode ter complicações bem mais graves. Nestes casos convém levar as precauções ao extremo e consultar o médico.

9. Ambiente humidificado, vírus sob controlo

Manter as vias respiratórias húmidas e uma temperatura ambiental moderada, entre os 18 e os 20 graus, evita que as mucosas fiquem ressequidas e, por conseguinte, com fraca capacidade protectora. O vapor emitido pelo humidificador eléctrico humedece as membranas mucosas do nariz e da garganta, facilitando a captura e a expulsão dos germes.

No caso de crianças com menos de dois anos e dos lactentes, é aconselhável fazer-lhes uma limpeza periódica com soro fisiológico e um aspirador nasal. As inalações de eucalipto também são benéficas .

10. Beba líquidos com abundância

A hidratação é o mucolítico mais poderoso, ou seja, faz com que as secreções nasais sejam mais fluídas e capturem e bloqueiem os germes. Beba entre 1,5 e 2 litros de líquidos por dia (água, caldos, sumos de fruta, etc), e deixe de lado os refrescos, as colas e as bebidas com cafeína, e em especial o álcool porque provoca desidratação.

Comer rebuçados de mentol, por exemplo, também é benéfico, pois aumentam a secreção de saliva, amolecendo a dureza da mucosa faríngea, o que reduz a irritação nesta zona .

11. Equinácia e propólis: aliados das defesas

"Apesar de não existir qualquer evidência científica sobre o carácter preventivo destas duas substâncias, há quem refira resultados positivos com o seu uso", refere Isabel Santos, regente da disciplina de Medicina Geral e Familiar na Faculdade de Ciências Médicas de Lisboa.

A equinácia é uma planta medicinal que se considera ser estimulante das defesas naturais, pela sua acção na produção e actividade dos macrófagos, linfócitos, leucócitos e outras células que combatem os vírus, ajudando a impedir que as infecções se desenvolvam. Nesta circunstância, recomenda-se começar o tratamento 15 dias antes do início da época fria, com gotas ou comprimidos.

Outra opção para reforçar a prevenção é o propólis, uma substância elaborada pelas abelhas, que se utiliza como agente preventivo devido às suas propriedades activadoras do sistema imunológico.

É considerado por alguns como um antivírico potente, eficaz para proteger das doenças das vias respiratórias superiores e inferiores. Para além disso, é revigorante e contém vitaminas, aminoácidos essenciais e minerais.

Gripe vs constipação: como distingui-las

Apesar da constipação comum e da gripe (ou influenza) serem duas infecções causadas por vírus e provocarem um aumento da mucosidade, lacrimejo, espirros ou tosse, nem todos os seus sintomas coincidem. Os vírus que provocam estas duas infecções respiratórias altas são diferentes.

O processo gripal caracteriza-se por produzir uma temperatura corporal elevada, mal-estar geral e, por vezes, estomacal, dores no corpo e de cabeça, espirros e perda de apetite. O seu vírus é mais contagioso do que o da constipação. Para além disso, afecta a população em geral, pode ter consequências graves, obrigar à hospitalização e levar à morte.

A constipação comum apresenta, sobretudo, manifestações respiratórias como aumento de mucosidade e tosse, congestão e secreção nasal, sensação de picadas e ardor na garganta, mas não produz febre e o mal-estar é mais leve. A constipação afecta mais as crianças, dura menos tempo e as suas complicações são muito menos frequentes.

Em caso de stress: relaxamento e vitamina C

Desportos intensos, trabalhos exigentes, épocas de exames, situações conflituosas, excesso de esforço físico e mental, ritmo de vida vertiginoso, problemas financeiros... O stress deprime o sistema imunológico, facilitando o contágio das infecções respiratórias.

Qualquer técnica de relaxamento, desde a meditação ao yoga, até às respirações profundas e os alongamentos ajudam a contrariar os seus efeitos negativos e a reforçar a barreira defensiva contra o vírus.

Por outro lado, e apesar de alguns estudos descartarem a hipótese da vitamina C ajudar a prevenir as doenças virais na população em geral, os especialistas concordam que as pessoas submetidas a um stress contínuo ou severo podem beneficiar com o seu consumo e reduzir o risco de adoecer.

Apesar do papel protector dos suplementos vitamínicos não ser claro, há um consenso relativamente ao facto da ingestão desta vitamina antioxidante através dos alimentos ajudar a aumentar a resposta do sistema imunológico perante o vírus.

Por isso, continua a ser aconselhável reforçar a ingestão de vitamina C, durante os meses de maior risco, através de frutas e dos seus sumos, especialmente citrinos e quivis, e de verduras, como batata-doce, couves, pimentos, espinafres, tomate, batatas cozidas com casca e vegetais verdes no geral.

Vacina contra a gripe: convém-lhe?

A imunização é a melhor arma para combater a gripe em grupos de pessoas com um risco acrescido. Para saber se deve vacinar-se deve falar com o seu médico.

A imunização está indicada, sobretudo, para pessoas com mais de 65 anos, doentes crónicos (pulmonares, cardiovasculares ou metabólicos), pessoas imuno-deprimidas e grupos expostos a contrair ou a propagar a doença, como profissionais de saúde, professores, assim como pessoas que vivam em lares ou estejam em contacto com pacientes de risco.

Os vírus da doença mudam aos poucos e a vacina é modificada todos os anos, para que seja o mais eficaz possível, razão pela qual o facto de se ter vacinado no ano anterior não confere protecção para o ano em curso.

O início da campanha de vacinação determina a época em que o vírus começa a circular: finais do Outono e princípio do Inverno. A protecção da vacina antigripal pode durar até um ano e chegar aos 70-90%, apesar de depender da idade e saúde da pessoa, e da semelhança entre os vírus circulantes e os da vacina. Em todo o caso, consegue reduzir a gravidade da gripe, no caso de contrair a doença.

A vacina, que é administrada numa dose, começa a fazer efeito passadas duas semanas após a sua aplicação, pelo que convém recebê-la quando os vírus começam a circular, se bem que é igualmente útil se for administrada mais tarde.

Algumas pessoas têm uma leve reacção à vacina que surge entre as seis e as 12 horas seguintes e que consiste em febre, mal-estar e outros sintomas que podem ser confundidos com uma infecção gripal. Esta reacção desaparece em 24 ou 48 horas.

"A vacina da gripe não confere imunidade para a vulgar coriza (inflamação aguda da mucosa nasal) ou constipação. Por isso não espere que a vacine lhe traga um ano sem constipações. Isso poderá não acontecer", conclui Isabel Santos.


Texto: Madalena Alçada Baptista
Revisão Científica: Profª. Dra. Isabel Santos (regente da disciplina de Medicina Geral e Familiar na Faculdade de Ciências Médicas de Lisboa)


 

In Sapo Saúde

publicado por SoniaGuerreiro às 22:18
tags:

05
Dez 07

“Doce Desintoxicação” e outras estratégias para abolir o cansaço

Há tanto que fazer mas infelizmente parece que andamos sempre a lutar contra o cansaço! Mas veja como acabar com o problema eficazmente!

Melhorará esse mal substancialmente se durante 2 meses seguir estas sugestões:

Não aos alimentos refinados:
Evite ao máximo tudo o que tenha açúcar refinado - tal como os biscoitos, bolachas, bolos secos ou com creme, refrigerantes e outras bebidas doces, gelados, chocolates, cereais de pequeno almoço açucarados, sobremesas e guloseimas várias, etc. - pelo menos nesses 2 meses, para ver como se sente.

Alimente-se Melhor:
Escolha uma alimentação rica em verduras (tomate, cenouras, espinafres, bróculos), fruta (bananas, kiwis), peixe gordo (salmão, atum, carapaus), oleaginosas (nozes), cereais e derivados integrais, ou pouco refinados (aveia, cevada), leguminosas (feijões, grão, tofu), azeite, muita água e chás (chá verde, branco ou preto) e muito pouca carne e aves.
Como complementos a uma alimentação melhorada, pode tomar ginseng coreano ou siberiano (Panax ginseng ou Eleuthrococcus), pois são tonificantes que ajudam a combater o desgaste físico e mental. Pode ainda tomar um multivitamínico ou complexo de vitaminas B.

Comida Caseira: Cozinhe Mais e Melhor:
Deve optar por métodos saudáveis de cozinhar os alimentos, tal como a vapor ou salteados, usando pouco sal e o mínimo de frituras e molhos gordurosos; molhos de tomate são muito bons, com azeite e ervas aromáticas. Deve por isso, comer mais em casa.
Pode comer verduras/hortícolas cruas, que são muito energizantes.

Mexa-se Regularmente para Mais Energia:
Também deve durante este período, fazer exercício físico regular, tal como caminhadas 5 a 7 vezes por semana, de 20 a 60 minutos. A regularidade aqui é de especial importância. Isto ajuda a utilizar melhor os açucares do sangue, ajuda-a num sono repousante, ajuda na circulação, o que pode melhorar as comuns dores de cabeça, e diminui o stress aliado à vida em geral.
Quanto mais exercício dermos ao nosso corpo, mais energia temos, o que é interessante. Experimente e sinta a diferença.

Dormir, Relaxar e Respirar Melhor:
Também pode estar a precisar de mais horas de sono repousante, e conseguirá isso deitando-se mais cedo, dormindo sem interrupções e num ambiente mais escuro. Deve evitar cafeína, tabaco e grandes comezainas e muito esforço físico, sobretudo ao final do dia.
Deve aprender técnicas de relaxamento e de respiração, por exemplo faça umas aulas de ioga. Vários ciclos de respiração 4-7-8 é muito energizante: inspira em 4 tempos, mantém o ar em 7, e expira fundo em 8.

RESULTADOS: Aconselho um período mínimo de 2 meses, porque estas mudanças suaves levam o seu tempo a surtir efeitos. Mas os efeitos são duradouros, porque entretanto adquirimos melhores hábitos de vida!

In Sapo Saude

publicado por SoniaGuerreiro às 11:14

02
Dez 07

Tempo de gripe: doença quase inevitável no Inverno

Com a chegada dos dias mais frios, são poucas as pessoas que conseguem fugir à habitual gripe, que já parece uma inevitabilidade do Inverno.

Com a chegada dos dias mais frios, são poucas as pessoas que conseguem fugir à habitual gripe, que já parece uma inevitabilidade do Inverno. Mas não é. E para lhe escapar há que ter muita cautela e não esquecer a prevenção.

A gripe é uma doença viral aguda causada pelo vírus influenza do qual se conhecem três tipos – A, B e C. Apenas os vírus A e B provocam doença com significativo impacto na Saúde Pública.

«A gripe é transmitida de pessoa para pessoa pelas vias aéreas e pode durar entre três a sete dias, sendo o tratamento principalmente sintomático», explica o Dr. Eduardo Mendes, presidente da Associação Portuguesa de Médicos de Clínica Geral.

As gripes e as constipações são as doenças mais comuns entre os seres humanos. Os adultos podem contrair duas a cinco cons­tipações por ano, ao passo que as crianças em idade escolar podem ser afectadas sete a 10 vezes.

A gripe, por seu turno, atinge todos os anos milhões de pessoas, podendo assumir um carácter epidémico.

Doença contagiosa

«Normalmente», assegura este médico, «cada pessoa só é afectada pela infecção gripal uma vez por ano».

Apesar de a sintomatologia destas duas doenças ser semelhante, «na gripe podemos esperar que a febre seja mais elevada, a presença de mialgias intensas (dores musculares) e não é frequente existirem sintomas oculares e espirros», diz o mesmo especialista.

A gripe é uma doença muito contagiosa, que ataca as vias respiratórias (nariz, garganta e pulmões). O vírus é transmitido através das secreções respiratórias e tem um período de incubação médio de dois dias. O período de transmissão decorre desde um a dois dias antes do aparecimento dos sintomas até sete dias depois.

«O indivíduo enfermo deverá repousar, evitar o álcool, procurar alimentar-se bem e ingerir muitos líquidos, além de usar medicações para a febre e para a dor (tratamento sintomático) – antipiréticos e analgésicos», aconselha Eduardo Mendes, que acrescenta:

«Podem, também, ser usados descongestionantes nasais para a melhoria dos sintomas nasais. Quando os sinais da gripe têm menos de dois dias, o doente poderá discutir com o seu médico de família a possibilidade e vantagem de adoptar um tratamento antiviral (tratamento diri­gido).»

Não há gripe sem tosse e são vários os inconvenientes que a tosse acrescenta: dores de garganta, no peito, dificuldade em engolir, sensação de sufoco… Mas trata-se de um mal que vem por bem.

Como esclarece este médico, «a tosse começa quando parte das vias aéreas do pulmão ficam inflamadas ou irritadas e é um reflexo básico que procura remover o agente irritante».

Tosse irritativa (seca) ou produtiva (torácica).

«A tosse torácica é a forma de o organismo expulsar o muco (viscoso) que surge nos pulmões. E para o expulsar e aliviar a tosse, pode ser necessário fluidificá-lo através da ingestão de fluidos, o que torna a tosse mais “produtiva” (com um muco menos espesso)», sustenta Eduardo Mendes, que distingue:

«Por sua vez, a tosse seca ou irritativa é causada pela inflamação das vias aéreas superiores e pode ser devido a poeiras, corpos estranhos ou a uma infecção da garganta, sem a presença de muco no tórax.»

In Sapo Saúde
publicado por SoniaGuerreiro às 19:24
tags: ,

14
Nov 07

Rir é mesmo o melhor remédio. Saiba porquê. E não fique a olhar para o computador com essa cara. Sorria!

O riso aumenta a auto-estima, afugenta a depressão, alivia as insónias e as doenças psicossomáticas. Tome nota destas 8 estratégias para encarar a vida com humor:

Não leve tudo tão a sério.
Não se trata de se acomodar nem de ser passiva, apenas de se rir um pouco da tragicomédia que é a vida. O nervosismo e a ansiedade não a levam a lado nenhum.

Veja as coisas de outra perspectiva.
A adversidade pode ser analisada de vários pontos de vista. Tente descobrir o lado positivo dos acontecimentos, e vai ver que não tardará em esboçar um sorriso.

Fim às inibições!
Elimine as máscaras que a impedem de ser natural e de fazer o que lhe apetece. Baixe a guarda para se mostrar tal como é e, com uma gargalhada, ponha fim às barreiras sociais.

Ria-se das suas limitações.
É a atitude mais saudável para evoluir. Assim, não só será capaz de se conhecer melhor como se vai tornar uma pessoa mais tolerante e condescendente com os outros.

Provoque o riso.
Experimente o jogo do sério, mentalizando-se de que não se pode rir. Se se esforçar muito, vai acabar por ver o ridículo da situação e a gargalhada vai fluir facilmente.

Use um diário.
Tome nota dos momentos mais alegres que a fizeram rir: uma frase que ouviu, uma má piada do seu chefe, um episódio com o seu filho ou neto... Releia-os e recupere sensações prazenteiras.

Lembre-se de coisas positivas.
Quando lhe acontecer alguma coisa desagradável, para a contrariar, pense imediatamente numa situação positiva, de forma a que a última imagem seja sempre de felicidade.

Dê música à sua vida.
Um truque para aliviar a ansiedade que às vezes a invade é inventar uma canção com as suas ideias e sensações e transformá-la numa música alegre.

Onde praticar

Se quiser aprofundar os seus conhecimentos sobre as terapias de riso, frequentar cursos e workshops, já existem em Portugal várias empresas e associações dedicadas à Risoterapia. Tome nota:

Clube do riso
Existem clubes do riso espalhados de norte a sul do País (Lisboa, Porto, Coimbra e Marinha Grande). Para se inscrever nos cursos de riso, vá até ao site www.clubesdoriso.com.

 

In Sapo Saúde

publicado por SoniaGuerreiro às 16:50
tags:

Março 2010
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5
6

7
8
9
10
11
12
13

14
15
16
17
18
19
20

21
23
24
25
26
27

28
29
30
31


subscrever feeds
Email
ainosccguerreiro@sapo.pt
mais sobre mim
Visitas
blogs SAPO