02
Dez 07

Tempo de gripe: doença quase inevitável no Inverno

Com a chegada dos dias mais frios, são poucas as pessoas que conseguem fugir à habitual gripe, que já parece uma inevitabilidade do Inverno.

Com a chegada dos dias mais frios, são poucas as pessoas que conseguem fugir à habitual gripe, que já parece uma inevitabilidade do Inverno. Mas não é. E para lhe escapar há que ter muita cautela e não esquecer a prevenção.

A gripe é uma doença viral aguda causada pelo vírus influenza do qual se conhecem três tipos – A, B e C. Apenas os vírus A e B provocam doença com significativo impacto na Saúde Pública.

«A gripe é transmitida de pessoa para pessoa pelas vias aéreas e pode durar entre três a sete dias, sendo o tratamento principalmente sintomático», explica o Dr. Eduardo Mendes, presidente da Associação Portuguesa de Médicos de Clínica Geral.

As gripes e as constipações são as doenças mais comuns entre os seres humanos. Os adultos podem contrair duas a cinco cons­tipações por ano, ao passo que as crianças em idade escolar podem ser afectadas sete a 10 vezes.

A gripe, por seu turno, atinge todos os anos milhões de pessoas, podendo assumir um carácter epidémico.

Doença contagiosa

«Normalmente», assegura este médico, «cada pessoa só é afectada pela infecção gripal uma vez por ano».

Apesar de a sintomatologia destas duas doenças ser semelhante, «na gripe podemos esperar que a febre seja mais elevada, a presença de mialgias intensas (dores musculares) e não é frequente existirem sintomas oculares e espirros», diz o mesmo especialista.

A gripe é uma doença muito contagiosa, que ataca as vias respiratórias (nariz, garganta e pulmões). O vírus é transmitido através das secreções respiratórias e tem um período de incubação médio de dois dias. O período de transmissão decorre desde um a dois dias antes do aparecimento dos sintomas até sete dias depois.

«O indivíduo enfermo deverá repousar, evitar o álcool, procurar alimentar-se bem e ingerir muitos líquidos, além de usar medicações para a febre e para a dor (tratamento sintomático) – antipiréticos e analgésicos», aconselha Eduardo Mendes, que acrescenta:

«Podem, também, ser usados descongestionantes nasais para a melhoria dos sintomas nasais. Quando os sinais da gripe têm menos de dois dias, o doente poderá discutir com o seu médico de família a possibilidade e vantagem de adoptar um tratamento antiviral (tratamento diri­gido).»

Não há gripe sem tosse e são vários os inconvenientes que a tosse acrescenta: dores de garganta, no peito, dificuldade em engolir, sensação de sufoco… Mas trata-se de um mal que vem por bem.

Como esclarece este médico, «a tosse começa quando parte das vias aéreas do pulmão ficam inflamadas ou irritadas e é um reflexo básico que procura remover o agente irritante».

Tosse irritativa (seca) ou produtiva (torácica).

«A tosse torácica é a forma de o organismo expulsar o muco (viscoso) que surge nos pulmões. E para o expulsar e aliviar a tosse, pode ser necessário fluidificá-lo através da ingestão de fluidos, o que torna a tosse mais “produtiva” (com um muco menos espesso)», sustenta Eduardo Mendes, que distingue:

«Por sua vez, a tosse seca ou irritativa é causada pela inflamação das vias aéreas superiores e pode ser devido a poeiras, corpos estranhos ou a uma infecção da garganta, sem a presença de muco no tórax.»

In Sapo Saúde
publicado por SoniaGuerreiro às 19:24
tags: ,

CorretorEmoji

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.

Este blog tem comentários moderados.

Este blog optou por gravar os IPs de quem comenta os seus posts.


Dezembro 2007
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1

2
3
4
5
6
7
8

9
10
11
12
14
15

16
17
21
22

23
24
25
28
29

30
31


subscrever feeds
Email
ainosccguerreiro@sapo.pt
mais sobre mim
Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

blogs SAPO