10
Set 07

A respiração é a chave para a harmonia interior e beleza exterior. Veja tudo o que deve saber para melhorar!

Qual é o nosso primeiro acto quando nascemos? Inspiramos e depois choramos. E o nosso último acto é expirar, e então os outros choram.
Entre estes dois actos acontece toda a nossa vida, e durante todo este tempo estamos a inspirar e expirar.


O que é a respiração? Por que é tão importante a nossa respiração?

A respiração é sinónimo de vida. A nossa respiração é a nossa vida e a nossa vida é feita da nossa respiração. Sem respiração o que somos? Pode haver vida humana sem respiração? A nossa respiração é essencial à nossa existência.

Contudo, não costumamos prestar nenhuma atenção à nossa respiração. Estamos o tempo todo focados no que se passa à nossa volta, o que está fora de nós: negócios, relações com clientes, vida familiar, vida social, amizades, dinheiro, carros, telemóveis, moda etc. E durante todas estas actividades estamos a respirar. Será que temos consciência disso?

O stress influencia fortemente a nossa forma de ser, o nosso estado mental e a nossa saúde. A respiração é o perfeito antídoto. Muitas das doenças de hoje são o resultado do stress: depressão, ansiedade, irritabilidade, problemas de pele, alterações energéticas, distúrbios alimentares, problemas de sono, doenças mentais ou emocionais, hipertensão, dependência de álcool e tabaco, dependência de drogas e assim por diante.

“Aprendemos tantas coisas na escola e em casa, mas nunca nos ensinaram como manter o corpo são (livre de doenças), uma mente sem stress, nem como lidar com as nossas emoções negativas”, refere Sri Sri Ravi Shankar, fundador da Fundação “A Arte de Viver”.

No mundo de hoje temos que estudar a nossa própria mente, o nosso próprio ego, gastamos tanto tempo a aprender tantas coisas para a vida, mas poucas sobre a própria vida. Muito frequentemente, só paramos para pensar na vida que levamos quando somos forçados, normalmente por doença.

Em vez de esperar que o stress atinja tal nível, podemos ter acções preventivas usando um pouco de tempo para aprendermos sobre nós mesmos e como funcionamos. Por exemplo, a natureza da nossa mente, o efeito das nossas emoções sobre o nosso sistema nervoso, os ciclos naturais do nosso corpo, o poder da nossa respiração.

O estudo de si próprio é essencial para se ser o gerente competente da nossa própria vida, no ambiente competitivo dos nossos dias. O segredo está na nossa própria respiração.


In Sapo Mulher

publicado por SoniaGuerreiro às 11:18

Porque será que existem pessoas que nunca chegam a horas?

A maioria dos portugueses considera-se pontual, mas acusa todos os outros de chegarem sempre atrasados aos compromissos. Apesar de paradoxal, é esta a conclusão do maior estudo realizado em Portugal sobre a pontualidade (e a falta dela), promovido pela AESE, Escola de Direcção e Negócios e pela Ad Capita Executive Search.

A maior parte dos inquiridos (86,6 por cento) considera-se pontual tanto na sua vida pessoal como profissional, mas apenas 5,4 por cento concorda que os portugueses, de um modo geral, cumprem horários. Metade dos inquiridos (50,1 por cento) refere mesmo que raramente ou nunca chegamos a horas.

Os portugueses sabem que não são pontuais (apesar de individualmente não se reverem na tendência geral) e isso não será a grande novidade deste estudo, como os próprios autores referem. O desafio está em não nos deixarmos levar pela inércia instalada ou por argumentos fatalistas de que somos mesmo assim e mudar de atitude.

Se for o seu caso, inspire-se no rigor britânico, suíço ou alemão e siga as nossas pistas para alterar este seu (mau) hábito.

Sejamos realistas, ninguém consegue chegar sempre atrasado a não ser que se esforce para tal.

Se todos os dias chega tarde aos seus compromissos, porque apanhou mais trânsito que nunca ou o elevador parou em todos os andares até chegar ao seu, talvez não esteja a ser muito sincera acerca do verdadeiro motivo que a leva a chegar atrasada e, provavelmente, já toda a gente reparou nisso.

A verdade é que, muitas vezes, ser ou não ser pontual é uma opção. Somos nós que escolhemos ignorar o despertador e o alarme sonoro do telemóvel e clicar no snooze até ser realmente tarde para estar na cama.

Se por vezes o trânsito na cidade está caótico, passe a sair de casa mais cedo para garantir que chega a horas. Se está realmente sujeita a chegar tarde, porque o elevador pára em todos os andares até chegar ao do seu escritório, pense em sair da cama um pouco antes.

Agora, se escolher continuar uma conversa de circunstância com a vizinha, apesar de estar atrasada mais vale assumir e deixar-se de desculpas esfarrapadas. Assim não dá tanto nas vistas e com sorte ninguém repara...

 

In Sapo Mulher

publicado por SoniaGuerreiro às 11:12

Setembro 2007
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1

2
3
4
5
6
7
8

9
14
15

16
17
19
20

23
26
27
28
29

30


subscrever feeds
Email
ainosccguerreiro@sapo.pt
mais sobre mim
Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

blogs SAPO