10
Out 07
A ideia de que uma criança gordinha é uma criança bem criada... e alimentada, é considerada actualmente, errada.

De tal forma que a obesidade é considerada a epidemia deste milénio. A obesidade caracteriza-se pelo excesso de gordura corporal em relação à altura e sexo de um indivíduo e surge quando as calorias consumidas são superiores às que o corpo necessita.

Este excesso é armazenado pelo organismo em forma de gordura. Como consequência deste armazenamento, surgem os riscos de algumas doenças: a hipertensão, problemas cardiovasculares ou a diabetes 2, já para não falar nos problemas psicológicos que a maioria dos mais gordos podem ter.

E nem mesmo as crianças escapam a este mal. Uma criança obesa, começa desde cedo a correr maiores riscos de saúde, e embora se diga que "ainda está a crescer", nem sempre por isso deixará de vir a ser um adulto obeso.

As crianças e a obesidade

Se para os adultos se pode calcular o Índice de Massa Corporal, e descobrir se é ou não obeso, no caso das crianças é necessário respeitar algumas regras e seguir uma tabela específica.

Para as crianças, um percentil de peso superior a 85 na sua tabela (idade e sexo), pode significar que a criança é obesa.

No entanto, em alguns casos nem é necessário recorrer a estas avaliações, já que a obesidade é por demais evidente.

Há outros casos em que a obesidade se confunde com o tamanho da criança, pois esta poderá ser grande.

Nestes casos, é necessário averiguar se realmente há um excesso de gordura ou se porventura é somente excesso de peso.

Uma criança que toma o leite materno tem menor tendência para ter excesso de peso, do que uma criança alimentada com leites de fórmula, já que a forma como é dado o leite também é diferente.

Enquanto que nas crianças amamentadas é impossível avaliar a quantidade ingerida, nas crianças alimentadas a biberão as mães teimam para que os seus filhos não só ingiram a quantidade indicada pelo pediatra, como quase sempre colocam um pouco mais de leite "por sua conta e risco" para que o seu bebé fique bem alimentado.

Como prevenir

Como é evidente, nunca será possível colocar o seu bebé "a dieta", enquanto está a ser amamentado, mas passada esta etapa no seu desenvolvimento, já poderá estipular algumas regras que lhe permitam não aumentar em demasia o seu peso.

Recorde que a obesidade deve ser prevenida precocemente sem excessos e dependendo sempre da evolução da própria criança, especialmente nos períodos mais vulneráveis do seu desenvolvimento: o primeiro ano, por volta dos cinco anos e durante a puberdade.

Ajude o seu filho, incutindo-lhe o desejo da prática saudável de uma modalidade desportiva.

A prática do desporto favorece o equilíbrio do organismo. Ensine-lhe bons hábitos alimentares desde o início, pois desta forma estará a melhorar a sua própria auto-estima, para além da sua saúde.

Como evitar a obesidade

  • Dê o exemplo. Não ande sempre a petiscar
  • Estabeleça o número correcto de refeições diárias da criança
  • A criança deverá ter quatro refeições principais mais duas refeições ligeiras. As refeições ligeiras podem ser realizadas a meio da manhã e a meio da tarde
  • As refeições devem ser sempre respeitadas. A criança não deve "saltar" qualquer refeição, como por exemplo o pequeno-almoço, que para os pequenitos que vão para a escola é uma importante fonte de energia
  • Quando lhe dá de comer, não deverão existir focos de distracção como a televisão, o computador ou os videojogos. A hora de comer... é para comer
  • Deve respeitar os horários das refeições para que o seu filho não se sente à mesa com "fome". Desta forma o próprio organismo modera as quantidades que ingere.
In Sapo Bebe
publicado por SoniaGuerreiro às 15:54

Combater a necessidade da sesta depois do almoço.

As horas em que regressa ao trabalho depois do almoço passam com sacrifício? É frequente ser atacado por sintomas tão diversos como olhos pesados, visão distorcida, irritabilidade, moleza, sono, falta de foco e concentração? Descanse, não está só no sindrome da necessidade de sesta depois do do almoço! Está provado que a grande maioria das pessoas sente, no período entre as duas e as quatro horas da tarde, uma acentuada sensação de cansaço, acompanhada por uma significativa redução da sua capacidade de trabalho e concentração.
Para além de fisicamente desagradável, e com algum impacto em termos da produtividade global, a questão assume proporções mais sérias quando referente a actividades expostas a riscos laborais. Diversos estudos confirmam que este é o período em que os acidentes de trabalho acontecem com mais frequência.
Sendo já uma realidade em alguns países, onde as empresas começam a criar “salas de sono” para descanso dos seus colaboradores, a verdade é que em Portugal a “hora da sesta” ainda não é uma questão prioritária. Enquanto a moda não chega a território nacional, ajudamo-lo a descobrir algumas formas de combater a sonolência das primeiras horas da tarde...

  • Apesar dos especialistas associarem esta questão ao ciclo biológico normal do Homem, desfazendo o mito do almoço como principal responsável, a verdade é que as refeições pesadas têm tendência a aumentar os sintomas de cansaço. Coma menos do que o habitual e evite o alcool e condimentos muito fortes.

  • Guarde um lanche para quando começar a sentir sono. Fruta fresca ou umas bolachas são boas escolhas. O açucar poderá ser um bom auxiliar no combate destas “quebras” de energia, por isso experimente uns rebuçados ou um bombom de chocolate.

  • Graças a acção da cafeína, a tradicional “bica” pode ajudar a manter os níveis de concentração e o estado de alerta, prevenindo a sonolência. Assim, mais uma razão para se manter o típico hábito português do café depois de almoço.

  • Passear 10 minutos a pé pode ser o suficiente para aumentar o seu nível de energia para a tarde. Ainda melhor, se o puder fazer ao ar livre, já que a luz do Sol funciona como um “carregador de baterias” natural.

  • Os praticantes de exercício regular são unânimes quanto aos benefícios deste para a energia do dia-a-dia. Ir ao ginásio, correr ou nadar logo pela manhã são sugestões que podem ajudar a melhorar o problema. Verá ainda mais resultados se tiver oportunidade de praticar desporto durante a hora de almoço.

  • É mais provável que sinta sono se o local de trabalho estiver muito silencioso. A música pode animar instantâneamente o ambiente. Porém esta não é sempre uma opção pacífica. Primeiro porque não é fácil agradar a “gregos e troianos” no que diz respeito aos gostos musicais, por outro lado, nem toda a gente aceita facilmente a ideia de trabalhar com música de fundo, por achar que isto diminui a sua concentração.

  • Se tiver oportunidade de planear o seu trabalho, procure marcar as actividades mais enfadonhas para a parte da manhã ou final da tarde, quando os níveis de energia estão mais elevados. Dedique o período mais crítico ao contacto com os outros, pois esta interacção vai obrigá-lo a manter uma postura mais profissional.

  • Não esteja sentado mais do que 45/50 minutos de seguida. Não só é negativo para a sua postura como prejudicial à sua concentração e um potencial contributo para o cansaço.

  • Uma sesta de 20 minutos é o ideal para dar ao corpo o descanso necessário. Se tem a sorte de trabalhar perto de casa e de almoçar por lá, experimente!
  • In Sapo
    publicado por SoniaGuerreiro às 14:39
    tags:

    Outubro 2007
    Dom
    Seg
    Ter
    Qua
    Qui
    Sex
    Sab

    1
    2
    3
    4
    5
    6

    7
    8
    9
    11
    13

    14
    16

    21
    22
    23
    26
    27

    28
    29


    subscrever feeds
    Email
    ainosccguerreiro@sapo.pt
    mais sobre mim
    Subscrever por e-mail

    A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

    blogs SAPO